Campeã de reclamações, Energisa em MS já teve 900 denúncias de clientes no Procon em 2020

Número já é 52% maior que o total registrado em todo o ano de 2019

| MIDIAMAX


Procon-MS já registrou 900 reclamações contra a Energisa em 2020. (Foto: Reprodução)

Responsável por fornecer energia a 74 cidades de Mato Grosso do Sul, a Energisa lidera o ranking de empresas com maior número de reclamações no Procon-MS. São 900 denúncias recebidas de janeiro a outubro deste ano.

O número já é 52% maior ao total registrado em todo o ano de 2019, quando foram protocoladas 591 reclamações contra a concessionária, conforme informações do próprio Procon.

Esta semana, a empresa foi alvo de reclamações de clientes, que chegaram a ficar mais de 40 horas sem energia. A interrupção do serviço afetou moradores de pelo menos 28 bairros de Campo Grande.

O produtor Altamiro Barbosa perdeu mais de 1,2 mil litros de leite, que estragaram por ficar sem refrigeração. “Um descaso da Energisa com a produção rural de Mato Grosso do Sul', lamentou ao Jornal Midiamax.

Uma família, que mora na fazenda Estaca, na BR-163 e a 10km de Campo Grande, está a 35h. Então, a bomba responsável pelo abastecimento de água parou de funcionar, deixando os moradores sem o serviço também. Assim, a empresa justificou a demora na normalização: serviço de “maior complexidade'.

O construtor Ivo Soares, de 54 anos, mora no bairro Tijuca e conta que não é a primeira e sem dúvidas não será a última vez que ele fica sem energia elétrica após uma chuva, mesmo que fraca. Da última vez, Ivo teve prejuízo com o freezer que usa em casa.

“Isso acontece direto aqui, semana passada aconteceu, faltou energia e queimou o motor do meu freezer. Como consumidor eu fico muito chateado, foi um prejuízo de mais de R$ 1 mil', conta. Desta vez, ele chegou a ficar 22 horas sem energia, das 15 horas de quarta-feira (14) até as 13 horas de quinta-feira (15).

Também, outros clientes chegaram a perder alimentos, remédios e até prova na faculdade por conta da falta de energia na cidade. A situação preocupa, pois a meteorologia indica que entramos num período em que ocorrências de temporais será constante.

Em nota, a Energisa informou que se ajustar o número aos dados do Sindec (Sistema Nacional de Informações Defesa do Consumidor), as reclamações caem para 232. Além de ressaltar que o ranking não representa a eficiência da concessionária, pois empresas que tem poucos clientes são comparadas a empresas que atendem milhões de clientes.

“Se considerarmos, portanto, os ajustes, a posição da empresa no ranking seria substancialmente alterada. A Energisa informa que o ranking do Procon considera em seu número, além das reclamações, os atendimentos e orientações realizadas ao cliente. O ranking apresenta ainda um elevado número de reclamações improcedentes, bem como reclamações duplicadas', explicou.

Com base nos dados da Sindec e avaliados pela distribuidora, o número de atendimentos e orientações são de 301; reclamações improcedentes e arquivadas, 222; e reclamações Duplicadas ou Triplicadas, 145.