Prorrogação do Auxílio Emergencial pode ser de mais de três meses, diz Guedes

Ministro da Economia afirmou que prazo pode até crescer mais

| MIDIAMAX


Divulgação

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (8) que o Auxílio Emergencial deve passar por uma prorrogação de dois ou três meses. De acordo com o Ministro, isso vai acontecer porque a pandemia do novo coronavírus ainda está matando muita gente no Brasil.

No entanto, o próprio Ministro disse nessa mesma declaração que existe uma possibilidade de aumentar ainda mais esse período de prorrogação. De acordo com ele, tudo vai depender portanto do ritmo da vacinação contra a Covid-19 no Brasil.

“Todos os governadores estão dizendo que toda a população adulta estará vacinada no final de setembro. Se isso não acontecer, a gente estende o auxílio emergencial. Nós estamos estendendo para agosto e setembro. Se for necessário, estenderemos mais', disse o Ministro.

A lógica de Guedes é simples: o Governo Federal só vai parar de pagar o Auxílio Emergencial quando toda a população adulta do país estiver vacinada contra a Covid-19. Recentemente, alguns governadores disseram se fato que irão fazer isso até o próximo mês de outubro.

Foi o caso, por exemplo, do Governador de São Paulo, João Dória (PSDB). Em uma coletiva, ele disse que o toda a população adulta do estado vai receber a vacina nos próximos meses. O seu companheiro de partido, o Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) também deu uma previsão semelhante para os gaúchos recentemente.