Flamengo resolve jogo em nove minutos, mas mantém postura e vê peças crescerem de produção

Mais importantes do que o resultado, controle do jogo e crescimento de nomes como Michael são pontos animadores na contagem regressiva para a final da Libertadores

Por GE em 15/11/2021 às 10:09:06

Michael Flamengo ?- Foto: Marcos Ribolli

Analisar a vitória do Flamengo sobre o São Paulo por 4 a 0 no Morumbi é ver os primeiros nove minutos de jogo. Neste período, o time de Renato Gaúcho fez dois gols e viu Calleri, principal atacante adversário, ser expulso. O triunfo estava construído a partir daí.

Porém, mais importante do que ver apenas o resultado, é perceber como o Flamengo se comportou depois da vantagem construída. Se em outros jogos recentes, a equipe se retraiu demais e teve dificuldade até para segurar o placar - vide o duelo com a Chapecoense -, desta vez o time manteve postura mais animadora.

Em vez do jogo de contra-ataques desenfreados, sem pausa, o Flamengo soube controlar a partida. Cadenciou o ritmo do jogo com boas atuações de Willian Arão e, principalmente, Andreas Pereira e Everton Ribeiro.

O camisa 7 atuou ainda mais centralizado do que de costume, abrindo o corredor para Matheuzinho, mas também dando superioridade numérica no meio-campo e permitindo a posse de bola rubro-negra.

Michael titular ou no banco? Tanto faz

Sem sofrer riscos na defesa, o Flamengo passou da vitória para a goleada com naturalidade. Os dois gols de Michael premiaram aquele que é a melhor notícia rubro-negra nesta reta final de temporada.

O crescimento do atacante é notório e faz com que ele, artilheiro isolado do Campeonato Brasileiro, deixe de vez a galeria de talismãs folclóricos da história do clube para se tornar de fato uma opção real ofensiva para o time.

Michael evoluiu bastante tecnicamente e também na tomada de decisões. Finaliza melhor e também serve seus companheiros, como no lance do segundo gol, quando deixou Bruno Henrique livre na pequena área.

A discussão sobre onde ele permaneceria no time com a volta de Arrascaeta talvez não seja tão importante: o ponto, aqui, é que, mesmo que volte à reserva, Michael será uma peça de confiança para a final da Libertadores.Foco na Libertadores ajudou no rendimento

Depois de uma sequência de jogos em que pouco convenceu, o Flamengo deu um sinal animador à sua torcida no Morumbi. Deu sinais do modelo que todos esperam ver, com muita marcação por pressão e eficiência no ataque, e mostrou que é também pode controlar o jogo e não ficar apenas num duelo de trocação e contra-ataques frenéticos como em outras oportunidades.


Com o clima mais leve depois da decisão institucional de preparar o time para a Libertadores, a impressão é que tanto Renato quanto os jogadores têm uma ideia mais concreta de como encarar os próximos jogos rumo ao desafio final. Este estado de espírito pode ser importante na preparação até Montevidéu.


Fonte: GE Felipe Schmidt ?- Rio de Janeiro

Comunicar erro